Logo
Gravura em metal [II] | Aldemir Martins - Loja Escritorio Arte
Loja online da Galeria de Arte Oto Reifschneider, que comercializa obras originais de artistas brasileiros: gravuras, desenhos, pinturas e esculturas.
Loja
17366
product-template-default,single,single-product,postid-17366,theme-bridge,woocommerce,woocommerce-page,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,side_menu_slide_with_content,width_470,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-14.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Loja Online

Gravura em metal [II] | Aldemir Martins

R$1.600,00

Gravura em metal de Aldemir Martins, tiragem de 100 exemplares, sem moldura e em ótimo estado.

 

[52,5 x 39 cm – dimensão sem moldura]

 

 

 

Um dos maiores nomes da arte brasileira do século 20, Aldemir Martins (1922-2006) foi pintor, gravador, desenhista e ilustrador. Artista cearense, construiu grande parte de sua carreira em São Paulo e, ainda em Fortaleza, atuou como ilustrador na imprensa e participou da fundação do Centro Cultural de Belas Artes em 1941. Em 1945, viajou para o Rio de Janeiro com os colegas Antonio Bandeira e Inimá de Paula, participando de uma coletiva na Galeria Askanasy, organizada pelo suíço Jean-Pierre Chabloz (1910-1984). Alguns meses depois, em São Paulo, voltou a ilustrar e conseguiu sua primeira exposição individual. Frequentou os cursos do MASP de 1949 a 1951 e, em seguida, estabeleceu-se como monitor. Em 1951, com desenhos de cenas típicas de seu nordeste, como paus-de-arara, rendeiras e cangaceiros, além de galos e gatos, recebeu o prêmio aquisição na 1ª Bienal Internacional de São Paulo. Em 1956, foi premiado melhor desenhista internacional na 28ª Bienal de Veneza, passando a compor diversas exposições internacionais. Recebeu em 1959 o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna e permaneceu por dois anos na Itália. Nos anos 1960, sua arte é aplicada a objetos comerciais, o que lhe traz enorme reconhecimento nacional – seu traço passa a fazer parte do dia a dia do brasileiro. Cria joias, ilustra bilhetes de loteria, faz esculturas, estampa aparelhos de jantar e produz até mesmo a abertura da telenovela Gabriela, da Rede Globo. Seu estilo, fortemente figurativo, com presença marcante do sertão e da arte popular, está entre os mais reconhecidos na arte brasileira.